Lorem ipsum dolor sit amet, adipisc ing elit, consectetur adipiscing elit. Duis ut ligula leo adipiscing elit.

PHONE:           0035 244 58 265

E-MAIL:           info@example.com

ADDRESS:      Rohr PL 989, NY

Maratona e suas Verdades

Maratona e suas Verdades

CAFÉ COM CHOKITO

O stress é uma reação psicofisiológica que leva a um desequilíbrio no funcionamento global e comprometer a qualidade de vida e gerar danos à saúde. A corrida de rua  é um dos pilares no combate ao stress, porém utilizada em níveis elevados a um cunho competitivo, pode tornar-se um agente estressor e ampliar a condição de stress tanto fisiológico e bioquímico como psíquico.

Segundo a Organização Mundial da Saúde apresenta o sedentarismo como uma das principais causas de morte, doenças e incapacidade. Embora haja uma grande prevalência em todas as faixas etárias, observa-se que há algumas pessoas que tentam mudar esta realidade com esportes que possuem um baixo custo e de fácil acesso,
como a corrida de rua.

A corrida de rua é uma modalidade esportiva que vem aumentando ao longo dos últimos anos, tanto em número de provas como de participantes. Isso é observado em todas as regiões do mundo.

Para quem inicia a corrida de rua geralmente está incumbido do objetivo de emagrecer ou de melhorar a condição cardio respiratória  e sair do sedentarismo ou simplesmente o desejo pessoal de correr, chegando até a orientação medica. Ao longo da evolução da pratica aonde o corredor incia nos 5km buscando chegar aos 10km, desejando realizar os 21 km até chegar ao mito da realização dos 42,195 km.

Puxa a cadeira e vamos tomar um café com chokito.

A grande maioria dos indivíduos  que participam de uma maratona não a corre para vencer. O mais importante para os corredores amadores é correr contra si mesmo, conseguindo tempos mais rápidos a cada vez e uma melhor colocação em seu grupo de idade ou de sexo. Muitos tem como meta apenas conseguir completá-la. Estratégias para a prova incluem correr a distância toda em ritmos diferentes ou andar e correr alternadamente por todo o percurso, Um dos principais objetivos dos corredores é quebrar determinada barreira de tempo.

Os mais lentos, almejam poder correr a prova em menos de 4 horas e os mais competitivos em menos de três horas, e todos treinam intensamente para isso. Outro objetivo importante é conseguir qualificação para disputar determinada maratona importante e ai começa todo lado sombrio que a maratona traz consigo.

Entretanto, algumas destas pessoas podem ver a maratona como uma prova em que deseja alcançar melhores resultados que os demais e, neste caso, passa a ter um efeito muito competitivo. Independente do tipo de esporte e do nível do atleta, a competição, como um processo ou como um momento final, pode tornar-se uma fonte inesgotável de stress, melhor e atingir a perfeição.

Esse quadro pode aumentar o risco de stress emocional excessivo. No corredor de rua, mesmo sendo um esporte procurado por pessoas amadoras, a competição pode estar presente, seja consigo mesmo, na busca por um melhor desempenho, seja entre seus iguais, quando em uma prova de maratona, quando deseja comparar os resultados obtidos, podendo exceder os limites de suas capacidades físicas e psicológicas.

Correr maratonas pode causar vários riscos físicos. Os treinos e a prova propriamente dita colocam o atleta sob estresse físico e mental e, apesar de raras, mortes também podem acontecer durante uma prova.

Contusões e lesões comuns que ocorrem são tendinitesfadiga muscular e óssea, entorses de joelhos e tornozelosdesidratação extrema(desequilíbrio eletrolítico), entre outras.

Correr uma maratona pode causar diversos problemas médicos posteriores, especialmente musculares, ósseos e dermatológicos. Dores musculares tardias pós-esforço são comuns na semana seguinte à prova.

Vários tipos de exercícios leves e massagens localizadas são recomendados para aliviar as dores secundárias causadas pelo estresse muscular. Problemas dermatológicos geralmente incluem fissura do mamilohematomas e escurecimento nos dedos e unhas dos pés e bolhas .O sistema imunológico da pessoa é suprimido por um curto período de tempo em virtude da perca de radicais livres pelo  stress oxidativo.

Quando o enfrentamento ao evento estressor não ocorre de forma adequada, evolui para a próxima fase, a resistência. Nesta há um desgaste generalizado que leva a uma diminuição da produtividade e criatividade do indivíduo, o cansaço pode tornar-se constante e sintomas como dificuldades com a memória, diminuição da libido e maior irritabilidade podem surgir. Quando exposto por um período prolongado a estes estímulos, a pessoa pode ir para a fase seguinte, quase-exaustão. Nesta fase o organismo enfraquece e não consegue mais reagir, podendo levar a quebra da resistência física e emocional.

Doenças, tensões e ansiedade são potencializadas. Alguns dos sintomas desta fase são insônia, problemas com a memória, diminuição da libido, sensação de desgaste constante, sensação de incompetência em todas as áreas, o que dificulta a recuperação.
.

Após longas corridas treinando para a maratona ou depois da participação nela, é recomendado consumir carboidratos para aumentar o estoque de glicogênio e proteínas para ajudar na recuperação muscular. Além disso, a imersão da metade inferior do corpo, durante aproximadamente 20 minutos, em água fria ou gelada chamada de Crioterapia e estimulação elétrica nervosa transcutânea são recursos fisioterapêuticos amplamente utilizados para o tratamento da dor devido a suas ações analgésicas comprovadas por evidências científicas.ajuda a forçar o sangue através da musculatura das pernas para acelerar a recuperação.

 

Segundo Platonov (1992) e Yessis (1987), a recuperação passa pelas
seguintes fases:
  1. I) recuperação da capacidade de trabalho, em que o organismo tentará restaurar os depósitos de substratos utilizados, eliminar os metabólitos e restaurar os sistemas nervoso,cardiorrespiratório, endócrino e estrutural dos músculos;
  2. II) restauração e melhora do estado prévio do desportista (supercompensação);

III) estabilização de um novo estado de forma física. Negligenciar o tempo necessário para restauração da condição física antes de um novo estímulo caracteriza uma condição inadequada, pois limita o desempenho e aumenta os riscos de lesões. Ao longo do processo de treinamento, uma sucessão inadequada, no que se refere à relação estímulo-recuperação, pode levar a uma condição de overreaching ou até mesmo de overtraining (FOSTER, 1998).

Por isso a importância de promover uma preparação com todos os recursos técnicos, tecnológicos e com uma equipe multidisciplinar buscando trazer o máximo de qualidade e segurança para os futuros maratonistas e os veteranos que buscam a performance dentro desse mundo chamado maratona.

Por carlos Felipe Albuquerque
Cref.06314-G/Ba

 

 

 

 

 

 

Post a Comment